Logo Agenda Cultural Aliança Francesa

IX FESTIVAL INTERNACIONAL DO FILME ETNOGRÁFICO DO RECIFE

01-out-2019 às 18:04 Renata

When:
6 de outubro de 2019 @ 16:00 – 22:00
2019-10-06T16:00:00-03:00
2019-10-06T22:00:00-03:00

fifer corrigido

 

06/10 Domingo

 

16h-19h30 – Mostra competitiva

Um Ramadão em Lisboa 

Duração: 68

Diretores:  CRIA

País: Portugal

 Ano: 2019

Sinopse:

Filme coletivo, revela o ambiente do mês do Ramadão em vários momentos, desde o seu começo, cheio de entusiasmo e frenesim ao cansaço dos últimos dias. Num contexto onde o jejum não é uma prática comum nem maioritária, este documentário segue as personagens pelas suas ruas, pelas suas paisagens e pelos seus mundos. Resulta de um processo criativo partilhado e coloca em pano de fundo uma Lisboa próxima e reconhecível, num movimento de aproximação humana do cinema.

Irmãos da Cruz

Duração: 12

Diretores: David Damasceno

 País: Brasil

Ano: 2017

Sinopse:

Irmãos da Cruz entrelaça o diálogo entre o passado e o presente, por meio das vozes dos decuriões Joaquim Mulato e Antônio de Amélia, da Ordem de Penitentes Irmãos da Cruz de Barbalha/Ceará. Fenômeno do catolicismo popular de origem secular que resiste aos anos e luta pela sobrevivência no vale do Cariri cearense.

Zikr99: Lembranças

Duração: 14

Diretores: Samuel Tettner

 País: Espanha

 Ano:2018

Sinopse:

O que é sufismo? Como entendê-lo melhor? Neste documentário, o autor inicia uma busca para entender o sufismo, que se estende por cinco anos e culmina com uma viagem espiritual de 2000 quilômetros pela Espanha. Por meio dessa experiência, ele descobre que o sufismo e as religiões em geral são mais bem pensados não como crenças abstratas que pessoas diferentes têm, mas como maneiras diferentes de habitar o corpo humano, relacionar-se com o ambiente e realizar a experiência corporal da vida cotidiana.  No caso do sufismo, isso é exemplificado pelo hábito do zikr, que é o ritual diário sufi mais importante, e envolve a repetição dos 99 nomes de Deus e de seus atributos, em um esforço para lembrar continuamente e constantemente de Deus.

Nome de Batismo-Alice

Duração: 25’

Diretores:  Laura Lins e Tila Chitunda

País:  Brasil

Ano: 2017

Sinopse:

Em 1975, a declaração da independência de Angola iniciou uma longa Guerra Civil que matou e expulsou vários angolanos de suas terras. 40 anos depois, Alice, a única filha brasileira de uma família angolana que encontrou refúgio no Brasil, decide ir pela primeira vez à Angola , atrás das histórias que motivaram seus pais a lhe batizarem com esse nome.

Viagem aos Makonde 

Duração: 55

Diretores:  Catarina Alves Costa

País: Portugal/Moçambique

 Ano: 2019

Sinopse:

Uma viagem da realizadora a Moçambique, levando com ela os filmes e as fotografias de Margot Dias, uma etnóloga que filmou entre 1958 e 1961 no Norte do país, entre os Makonde, mestres de arte e escultura africana. O filme

vai ao encontro dos Makonde de hoje, urbanos, devolvendo-lhes estas imagens e a sua própria História e revelando um país com tradições enraizadas. Um encontro com o passado, a memória e a cultura que vai desvendando aos poucos sentimentos acerca do poder das imagens e dos sons do nosso passado comum.

In the Devil’s Garden 

Duração: 25’

Diretores:  Pavel Borecký

País: Suiça/Argélia

Ano: 2018

Sinopse:

O filme situa o espectador em um espaço improvisado de um mercado de animais na Argélia. À deriva entre alimentação e espera, sintoniza-se com os corpos de cabras e camelos, os companheiros mais antigos dos homens árabes. À medida que avançamos no deserto, o local se transforma em uma zona de sacrifício e revela seus obscuros segredos geopolíticos. O filme de etnografia sensorial o convidará a questionar a banalidade de deslocamento, confinamento e exploração em um território fora de vista.

20h – Encerramento:
Premiação e Exibição do filme premiado.

Deixe uma resposta